Palavras e Gestos do Papa Francisco- audiência geral 1ºmaio

thumb_PapaFrancesco_600.jpg

Famiglia Cristiana
12 maio 2013
de ENZO BIANCHI
A juventude é a estação da esperança, mas, hoje, arrisca-se a ser, também, a da desilusão. Para manter viva a esperança é fundamental empenho em traduzi-la em gestos e comportamentos quotidianos, que possam colorir de sentido o horizonte que se vislumbra.

Famiglia Cristiana, 12 maio 2013
comentário de ENZO BIANCHI

Jovens, não tenhais medo do compromisso,
do sacrifício e não olheis com medo para o futuro!

O convite a não ter medo que o Papa Francisco dirigiu aos jovens, esta semana, é um convite para não temer o que a vida nos reserva e, em particular, para a enfrentar com confiança, com empenho e com sacrifício. Compromisso significa assunção de responsabilidade, adesão à realidade, firmeza em perseguir o que é justo. E sacrifício – esta palavra, hoje, muito incómoda – significa renunciar àquilo que não é essencial e disponibilidade para pagar um preço pelo que, de facto, tem valor para as nossas vidas.

A juventude é a estação da esperança, mas, hoje, arrisca-se a ser, também, a da desilusão. Para manter viva a esperança é fundamental empenho em traduzi-la em gestos e comportamentos quotidianos, que possam colorir de sentido o horizonte que se vislumbra. Só assim, deste empenho numa vida humanamente rica e sensata, será possível dar um rosto e um nome a esta esperança: o rosto e o nome de Jesus Cristo, homem como Deus sempre quis e pensou, o Filho de Deus que devolve dignidade e futuro aos horizontes dos jovens e dos adultos, de todos os que desejam um mundo mais justo e mais belo. Não olhar o futuro com medo significa acreditar na vocação de cada ser humano a ser aquilo que, na verdade, é: um filho amado de Deus.